terça-feira, 15 de janeiro de 2013

UM COMENTÁRIO DE FLÁVIO GUIMARÃES SOBRE OS NOSSOS TRINTA E SEIS ANOS DE CASADOS...


  1. Olá, meu considerado "padre" Celestino Pimentel

    Eu ia começar brincando, bendizendo o fato de você ter sido o único Novacruzense a se casar com a moça da casa da frente.


     Para mim, de cara, motivo para fazer graça. Pensei com meu botões "o 'padre' cochilou na redação, quem sabe", visto que se mais alguém tivesse se casado com ela ia ser o forrobodó. Mas desconsidere a intenção primeira.


    Na sequência, a história de vida construída a dois referenda o amor e faz um chamamento respeitoso e sério à vida conjugal. 
    Trinta e seis anos atestam que, apesar das diferenças (e quem sabe até por isso) se houver entendimento e tolerância, mutuamente, as histórias tendem ao final feliz.


    Para a felicidade completa, sei, vocês esperam netinhos. Que cheguem, pois, em breve. Como avô de primeira viagem, digo que netos são o arremate perfeito da vida a dois que, como sabemos, fica melhor a três, a quatro, a cinco...

     O casal e os filhos expandem a célula da família, unindo-a mais ainda. Depois, os netos, a coroar uma existência de amor, felicidade e paz. Alegria indescritível, meu caro "padre"; só mesmo experimentando.


    Gracinha (permita-me o abuso do tratamento assim tão informal, pois nem os conheço) vê-se que ouviu e seguiu conselhos materno e popular que ensinam "o homem, como o peixe, se prende pela boca"; no seu caso, Celestino, de boca aberta, pois que ela não haveria de fazer diferente, até por dever de ofício, mais tarde, mas o fez com a sensibilidade própria das mulheres companheiras, raras.


    Agora, sim, ao encerrar, que sorte a sua ter sido o único a se casar com a moça que morava na casa em frente. 

    Quantos Novacruzenses terão buscado suas almas gêmeas em outros horizontes, sem ter a sorte de encontrá-la tão perto. A felicidade, quase sempre, está diante dos nossos olhos. Basta ter olhos para ver.
    Grande abraço!

    RESPONDENDO...

    GRANDE FLÁVIO GUIMARÃES...

    EMOCIONOU-ME VER ESTE COMENTÁRIO SEU...
    VOCÊ QUE NEM CONHEÇO PESSOALMENTE, 
    QUE NÃO MORA DE LADO,
    NEM SE CHAMA JOÃO...

    RATIFICA A FRASE QUE APRENDÍ NA INFÂNCIA , 
    COM A MINHA MÃE: GENTE FINA É OUTRA COISA...

    O QUE  A GENTE ESCREVE, É UMA EXPLOSÃO QUE 
    SAI COMO UM VULCÃO...DA ALMA...
    DO VÃO 
    SUBTERRÂNEO DE DENTRO DA GENTE...

    UM COMENTÁRIO AO QUE ESCREVEMOS,

    VINDO DE PESSOA TÃO DIFERENCIADA,
    É UMA DIFERENCIAÇÃO, QUE TORNA O EGO 
    AMACIADO...

    SOMENTE OS GRANDES TEM A CAPACIDADE DE 
    ELOGIAR...

    DE AFAGAR SEM NENHUM INTERESSE...

    NESTA TERRA DE POTÍ, 

    O ELOGIO SÓ BROTA POR 
    INTERESSE, OU POR CATATIMIA...

    AQUI NÃO SE ELOGIA TALENTO....SE CHALERA...

    PONTUALMENTE,
     O ELOGIO É SINÔNIMO DE 
    CHALEIRAR...
    BABAR OS OVOS...

    O QUE SE ESCREVE É MEDIDO E 
    CONTADO...
    CALCULADO...
    E SÓ EXISTEM EFEITOS 
    BUMERANGUE...

    HÁ EXCEÇÕES? EXISTEM...

    MAS NÃO VOU CITA-LAS, PARA NÃO 
    ENFRAQUECER A REGRA GERAL.

    EU E GRACINHA FICAMOS BASTANTE HONRADOS 
    COM O SEU COMENTÁRIO...

    EU JÁ IMAGINAVA QUE OS NETOS TEM GOSTO DE 
    AÇÚCAR...

    RECEBA AFETUOSO ABRAÇO, DESTES SEUS 
    NOVOS AMIGOS DE NATAL...

    RATIFICO:O APREÇO NÃO TEM PREÇO...

    GRANDE ABRAÇO

    BERNARDO E GRACINHA

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Erro de digitação. Vai ver, foi reflexo de sua emoção, "padre". rsrsrrs

      Excluir
  2. Eu que lhes agradeço, Celestino e Gracinha. Embora com ligeiro atraso, meus presentes de Natal.

    FG

    ResponderExcluir