quinta-feira, 17 de agosto de 2017

MINHA BANDEIRA...

Parar. Parar não paro.
Esquecer. Esquecer não esqueço.
Se caráter custa caro
pago o preço.
Pago embora seja raro.
Mas homem não tem avesso
e o peso da pedra eu comparo
à força do arremesso.
Um rio, só se for claro.
Correr sim, mas sem tropeço.
Mas se tropeçar não paro
não paro nem mereço.
E que ninguém me dê amparo
nem me pergunte se padeço.
Não sou nem serei avaro
se caráter custa caro
pago o preço.

domingo, 13 de agosto de 2017

REFLEXÃO DO DIA...POR BERNARDO CELESTINO PIMENTEL

               Se as vezes trago as mãos distantes do meu peito, é por que há distãncia entre intenção e gestos...
              MAS,tudo que é frágil e pobre parece comigo....


ESCRAVO DA ALEGRIA...

sábado, 12 de agosto de 2017

SR.BRASIL...O PROGRAMA CULTURAL MAIS IMPORTANTE DO BRASIL.

SOBRE A ANGÚSTIA QUE SUJA OS HOMENS...POR BERNARDO CELESTINO PIMENTEL



               ESCUTEI um psiquiatra falar num programa de televisão que os consultórios de psiquiatria estão cheios...antigamente predominavam os quadros de Depressão...atualmente predominam os T.A.G: transtornos gerais da ansiedade...
             OS Homens estamos ansiosos, diante das dúvidas do amanhã...o nosso Tálamo está vulnerável as ameaças sociais...
              As aposentadorias correndo um certo risco...um governo desnaturado e cínico, como nunca...a inversão total dos valores republicanos...
               Esta angústia, esta ansiedade, aumenta o consumo dos ansiolíticos, dos tranquilizantes, e muita gente descamba para o ALCOOL...
              Chico Buarque na sua suprema inteligencia já chamava a atenção:o vinho tenta ocupar o lugar da dor...
               Está institucionalizado o roubo...a disfarçatez....o cinismo...a cara de pau dos políticos...seres nefastos ao povo...
               Nas ruas, os assaltos neurotizam as pessoas...se desconfia de qualquer sorriso...de qualquer olhar...
               Triste Brasil...sem perpectivas...Nicho natural de homens públicos corruptos...
             Tudo isto contribui para adoecer a alma, a mente, o espírito...e tome ansiedade...tome alcool, cujo tiragosto é o medo.

SAMBA E AMOR...


A EXCELENTE POESIA DO POVO...

Poeta cantador Jó Patriota (Jan/1929 – Out/1992)
Jó Patriota

Quando a dor se aproxima
Fazendo eu perder a calma
Passo uma esponja de rima
Nos ferimentos da alma.
Eu nasci em Itapetim
Lugar onde o camponês
Nunca estudou matemática
Nunca aprendeu português
Mas sabe fazer um verso
Que Castro Alves não fez.
* * *
Maria Rafael dos Anjos Ferreira (Rafelzinha)
Quem quiser sentir saudade
Faça do jeito que eu fiz
Deixe seu torrão natal
Sem querer como eu não quis
Saia por necessidade
Que depois você me diz
Para fazer como eu fiz
Não precisa ter coragem
Depende da precisão
Fazer de tudo embalagem
Se subir num caminhão
Chorar durante a viagem
Foi de cortar coração
Na hora da despedida
Saí de onde nasci
Pra terra desconhecida
Por contraste a incerteza
De arrumar o pão da vida
Foi na hora da partida
Quem assistiu lamentava
Era bem de tardezinha
Uma chuva se formava
Para o lado do nascente
Ai era que eu chorava.
Quanto mais longe eu ficava
Mais a saudade crescia
Olhava tanto pra trás
Que o pescoço me doía
Pra ver se ainda avistava
A casa que eu residia
Era tão grande o meu pranto
Que Joãozinho se comovia
De vez em quando eu olhava
Me ajeitava, me pedia
Lelê não chore tanto
Nós vamos voltar um dia.
* * *
Espedito de Mocinha
Eu nasci e me criei
Aqui nesse pé de serra
Sou filho nato da terra
Daqui nunca me ausentei
Estudei não me formei
Porque meu pai não podia
Jesus filho de Maria
De mim se compadeceu
E como presente me deu
Um crânio com poesia.
* * *
Oliveira de Panelas
Por este espaço onde moro
Meu sonho é tão colorido
Que eu tenho a doida impressão
Que ele foi construído
Por várias tintas confusas
De um arco-íris mexido.
* * *
Chico Alves
A ema tem ligeireza
Seja no claro ou na luz
Possui asas mas não voa
É parente de avestruz
E pesa setecentos gramas
O ovo que ela produz.
* * *
Inácio da Catingueira
Tenho pena de deixar
A Serra da Catingueira
A Fazenda Bela Vista
A maior dessa ribeira
O Riacho do Poção,
As quebradas do Teixeira.
* * *
João Paraibano
Poesia uma das flores
Que só Deus beija a corola
Joia que a mão não segura
Se aprende sem escola
Imagem que a gente amarra
Com dez cordas de viola.
* * *
Valdir Teles
Minha mulher já brigou
Com minha própria cunhada,
Chamou a irmã safada
Porque me cumprimentou.
Inda ontem perguntou
Por que é que essa cadela,
Só vem na minha janela
Quando você se apresenta?
Eita mulher ciumenta
Essa que casei com ela!
* * *
Lourival Batista
Sua vida inda está boa
A minha é que está ruim
Que você tá no começo,
Eu já tô perto do fim;
Tô perto de ficar longe
De quem tá perto de mim.
* * *
Assis Coimbra
Eu vou mandar construir
Cadeia para corrupto,
Pois pra mim é um insulto
Essa laia progredir.
E de lá só vão sair
Para o “roubo” devolver.
Depois eu torno prender,
Esse bando de safado,
Que muito já tem roubado,
Faça igual que eu quero ver.
PEDRO FERNANDO MALTA JÓ PATRIOTA

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

UM DEPOIMENTO DO MEU FIM DE RAMA: O FILHO CAÇULA...DR BRUNO MARCELO....

A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas sentadas e área interna
               A relação de pai e filho é como fumar um charuto... Você sabe que terá um começo e um fim, porém entre acender um charuto e jogá-lo fora em um cinzeiro muita coisa boa poderá ser feita!
              Se não tivermos cuidado, ao fumarmos um charuto, poderemos transformar um fumo de boa qualidade apenas em cinzas.
             No entanto, a depender do dono do charuto, essa transformação pode vir acompanhada de muita conversa, muito ensinamento, muitos exemplos e muita dedicação e com certeza no final não restarão apenas cinzas!
              Sinto que nós queimamos cada vez mais um fumo de excelente qualidade e que no nosso caso, com certeza, não restarão apenas cinzas!
              Feliz dia dos pais, para todos os pais em especial para o meu Bernardo Celestino Celestino Pimentel e que cada vez mais suas “obrigações de pai” se transformem em” eternos agradecimentos de seu filho”.

                Muito obrigado por tudo Bernardo Celestino Celestino Pimentel !


terça-feira, 1 de agosto de 2017

A NOVA SAFRA DE CHICO BUARQUE...Por Bernardo Celestino Pimentel






          Na segunda  quinzena de agosto será lançado novo CD do grande Chico Buarque...
          A obra terá sete músicas do compositor, destas, cinco são inéditas...
         O velho Chico sabe compor...compõe bonito...AH se ele fizesse na política, o bonito que ele faz nas músicas...


sexta-feira, 28 de julho de 2017

CRUEL...

UM GRANDE PICARETA...POR BERNARDO CELESTINO PIMENTEL



               O BRASIL VIVE UM CLIMA DE IMORALIDADE, DE DESMORALIZAÇÃO,DE FALÁCIAS...
               UM PRESIDENTE QUE FOI PEGO COM A MÃO NA CUMBUCA,PROPINANDO, PREVARICANDO, PEGO NO FLAGRA,LANÇA MÃO DE QUALQUER COISA  PARA NÃO SE SOLTAR DO CARGO...TEM A PSICOSE DE VIVER NO PODER...
               UM HOMEM DIGNO, DIANTE DO SEU ERRO, TERIA RENUNCIADO NO OUTRO DIA APÓS A APRESENTAÇÃO DA FITA FAMOSA, QUE MOSTRA  O PRESIDENTE EM CARNE , E VOZ ,PREVARICANDO, SACANEANDO E SUJANDO O CARGO QUE OCUPA...
               DE LÁ PARA CÁ , A ORDEM É COMPRAR VOTOS QUE IMPEÇAM O SEU DESPENCAR DO CARGO QUE FOI INDIGNO DE OCUPAR...
              COM ESTE OBJETIVO, TEM TORNADO POSSÍVEL TUDO O QUE É SUJO, ILÍCITO, PARA QUE SEJA SALVO NA VOTAÇÃO DE QUARTA FEIRA...
              É PORTADOR DE UMA DAS MAIORES REJEIÇÕES POPULARES, SEGUNDO AS PESQUISAS...
          UM HOMEM ODIADO PELO BRASIL...ESTREBUCHANDO NO CAMINHO DA FORCA.
               AGORA, ABRINDO MÃO ATÉ DE PRINCÍPIOS SAGRADOS  QUE PROTEGEM A FLORESTA AMAZÔNICA...
              UM NOME QUE JAMAIS SERÁ ESQUECIDO DENTRO DO ALMANAQUE:OS GRANDES PICARETAS.

NO DIA QUE O MORRO DESCER E NÃO FOR CARNAVAL...

FILOSOFIA DA MINHA GAVETA NÚMERO 2017-JULHO



               O MUNDO, MAIS PERMANENTE E CONSTANTE DE CADA UM ,É O SEU EU...

              O NOSSO EU SEMPRE EXISTIU...SEMPRE EXISTIRÁ....NUNCA TERÁ FIM...E PORTANTO MERECE SER MUITO BEM TRATADO, COMPREENDIDO, RETRO ALIMENTADO PELO NOSSO ESPÍRITO E PELAS FORÇAS QUE REGEM  A NATUREZA...
               QUANDO ERA CRIANÇA JÁ ERA EU, JÁ TINHA UM  EU...
              O ADOLESCENTE QUE FUI ERA EU, TINHA EU,O MESMO EU QUE HOJE ESCREVE AOS 62 ANOS...
              CAMINHAMOS AOS TRANCOS E BARRANCOS, SOMOS ATROPELADOS, MUDAMOS AS NOSSAS ROTAS, AVANÇAMOS AS VEZES, AS VEZES DESISTIMOS,CONOSCO SEMPRE , O NOSSO EU , QUE É INFINITO...
               É IMPORTANTE PERCORRERMOS SEMPRE O NOSSO EU, LIMPAR OS SEU VÃOS PROFUNDOS, SUBTERRÂNEOS, ADMINISTRA-LO...
          É INFELIZ QUEM ESQUECE DO SEU EU...
          ADOECE QUEM NÃO ALIMENTA O SEU EU...QUEM O DESCONHECE, QUEM NÃO O PERCEBE...
               NA YÔGA TEMOS ESTE Cuidado de PENETRAMOS DENTRO DA GENTE...DE IMERGIR NO NOSSO EU, DE MANTE-LO SEMPRE EQUILIBRADO, REJUVENESCE-LO COM A INTROSPECÇÃO PROFUNDA...COM OS EXERCÍCIOS, COM A RESPIRAÇÃO, QUE É O MAIOR FAROL QUE SINALIZA A VIDA...
               TRAGO EXEMPLOS DA LITERATURA, QUE NOS MOSTRAM A DISTÂNCIA ENTRE O INDIVÍDUO E O SEU EU...EM OUTRAS PALAVRAS, A MEDIDA DE UM DESAJUSTAMENTO...A INADAPTAÇÃO ENTRE O VIVER E O EU...
               O POETA FERNANDO PESSOA, NA POESIA  GATO QUE BRINCAS NA GRAMA , CHEGA A AFIRMAR:
               EU VEJO-ME MAS ESTOU SEM MIM,
CONHEÇO-ME MAS NÃO SOU EU...

               NA CRONICA, A CASA DE MATA CAVALOS, MACHADO DE ASSIS AFIRMA: FALTAVA-ME O EU, E ESTE EU ERA TUDO...

quarta-feira, 26 de julho de 2017

A POESIA DE BERNARDO CELESTINO PIMENTEL: IMERSÃO...


            FECHANDO A TRAMELA DA JANELA QUE DÁ PARA A RUA...
ABRINDO A BRECHA QUE DÁ PARA DENTRO DE MIM...
PERCORRO UM VÃO SUBTERRÃNEO DE DENTRO DE MIM...
ENCONTRO  A ANTÍTESE DA MINHA VIDA...
DOU COM A MINHA COROA DE REI, AGORA JÁ SEM TRONO...
PESCO NO POÇO DOS MEUS SONHOS...
IÇO OS INSTANTES MAIS DESEJADOS...
PERCORRO -ME E NÃO ENCONTRO-ME...
NO CHÃO UM POETA MUDO...
COLHO AS SINFONIAS DA CANÇAÕ QUE NÃO COMPUZ...
SINTO O TOM MAIOR...
LEVITO E ADORMEÇO COM A MINHA PRÓPRIA MÚSICA...
SONHO COM O DESCONEXO,
O SONHO DOS SONHOS,
RELEMBRO ESTRELAS,
NO MEU LATIFÚNDIO...

A VIDA ESCORRE POR ENTRE OS DEDOS...
O TEMPO É BREVE,
A MINHA ALEGRIA É QUANDO,
O AMOR ARREBENTA COMO UMA HEMORRAGIA...
CINTILA NOS MEUS OLHOS DESEJOS,
TERRAS QUE SONHEI,
BOCAS QUE EU NÃO SENTÍ,
O ÚLTIMO INSTANTE,
A ÚLTIMA CENA.
A ALMA GRITANDO,
QUE PENA!!!
NA CARTA QUE VOA,
NOTÍCIAS DOS MEUS RASTROS,
UM TERNO,
SURRADO.

sexta-feira, 21 de julho de 2017

O MEU VOTO...

Voto na Besta Fubana
Em Lampião ou Corisco
Troco meu voto num risco
Numa garrafa de cana
Numa casca de banana
Numa lata de Nestlé
Num livro que não se lê
Numa sopa de concreto
Chova canivete aberto
Que eu não voto no PT.
Voto em governo golpista
No raio da silibrina
Em quem recebeu propina
Em candidato fascista
No derradeiro da lista
De militar a Civil
No político mais vil
Voto até num saruê
Só não voto no PT
Que assaltou o Brasil.
Quero ser um caboré
Um criador de intriga
Capacho de rapariga
Porteiro de cabaré
Um sapato com chulé
Ser frio ser calculista
Puxa-saco de cambista
Posso morrer mas não nego
Quero ser guia de cego
Mas não quero ser petista.
O diabo me carregue
No dia da eleição
Não tendo outra opção
Se eu não votar num jegue
Quero morrer num albergue
Deitado num banguê
Tapicuru me roer
Numa noite de inverno
Ir direto pro inferno
Se eu votar no PT.

sábado, 15 de julho de 2017

CHICO BUARQUE NA INTERNET...NINA

SOBRE A VIDA...

PROVÉRBIOS SOBRE A VIDA


por Aristeu Bezerra

“A gente vive esperando que as coisas mudem, que as pessoas mudem. Até que um dia a gente muda e vê que nada mais precisa mudar .”
“Terminado o jogo. O rei e o peão voltam para à mesma caixa.”
“A vida é um eco. Se você não está gostando do que está recebendo, observe o que está emitindo.”
“A vida é um empréstimo que temos a pagar em data incerta.”
“Jamais se desespere em meio às sombrias aflições de sua vida, pois das nuvens mais negras cai água límpida e fecunda.”
“A juventude não é uma época da vida, é um estado de espírito.”
“Se você que saber como foi seu passado, olhe para quem você é hoje. Se quer saber como vai ser seu futuro, olhe para o que está fazendo hoje.”
“Boa fama granjeia quem não diz mal da vida alheia.”
“Objetivo da vida: Ser uma pessoa melhor, não perfeito, apenas melhor do que ontem!”
“A vida é um jogo em que Deus embaralha as cartas, o diabo corta o baralho e nós temos de fazer os pontos.”
“Se você quer ser feliz por uma hora, tire uma soneca; por um dia, vá pescar; por um mês, case-se; por um ano, herde uma fortuna; pela vida inteira, ajude os outros .”
“A vida é uma cadeia de desenganos por meio dos quais se vai adquirindo experiência.”
“Beber a grandes tragos extingue a sede; beber em pequenos goles prolonga o prazer da bebida. Assim é também com relação ao prazer do amor. E com tudo o mais na vida.”
“Espere o melhor, prepare-se para o pior e receba o que vier.”
“Temos uma boca e dois ouvidos, mas jamais nos comportamos proporcionalmente.”
“O bem que se faz num dia é semente de felicidade para o dia seguinte.”
“Mais importante do que vigiar os outros é controlar os próprios passos.”
“Há três coisas na vida que nunca voltam atrás: a flecha lançada, a palavra pronunciada e e a oportunidade perdida.”
“Podemos escolher o que plantar, mas somos obrigados a colher o que semeamos.”

sexta-feira, 14 de julho de 2017

FRISSON...


A MÚSICA DO ANO...

A POESIA DE FLORBELA ESPANCA.


O NOSSO LIVRO – Florbela Espanca


Livro do meu amor, do teu amor,
Livro do nosso amor, do nosso peito…
Abre-lhe as folhas devagar, com jeito,
Como se fossem pétalas de flor.
Olha que eu outro já não sei compor
Mais santamente triste, mais perfeito
Não esfolhes os lírios com que é feito
Que outros não tenho em meu jardim de dor!
Livro de mais ninguém! Só meu! Só teu!
Num sorriso tu dizes e digo eu:
Versos só nossos mas que lindos sois!
Ah, meu Amor! Mas quanta, quanta gente
Dirá, fechando o livro docemente:
“Versos só nossos, só de nós os dois!…”

domingo, 9 de julho de 2017

MEU INVENTÁRIO PSÍQUICO PARA OS MEUS FILHOS...



AOS NOSSOS FILHOS
 IVAN LINS E VITOR RAMIL

Perdoem a cara amarrada,
Perdoem a falta de abraço,
Perdoem a falta de espaço,
Os dias eram assim...
Perdoem por tantos perigos
Perdoem a falta de abrigo
Perdoem a falta de amigos
Os dias eram assim.
Perdoem a falta de folhas
Perdoem a falta de ar
Perdoem a falta de escolha
Os dias eram assim.
E quando passarem a limpo
E quando cortarem os laços
E quando soltarem os cintos
Façam a festa por mim.
E quando lavarem a mágoa
E quando lavarem a alma
E quando lavarem a água
Lavem os olhos por mim.
Quando brotarem as flores
Quando crescerem as matas
Quando colherem os frutos
Digam o gosto pra mim.
Digam o gosto pra
mim...

SOBRE OS FILHOS...POR BERNARDO CELESTINO PIMENTEL















          FILHOS, É MELHOR NÃO TÊ-LOS...MAS SE NÃO TE-LOS, COMO SABÊ LOS...ERA ASIM QUE DIZIA O POETA VINÍCIUS DE MORAES EM RELAÇÃO AOS FILHOS...
          EU TIVE FILHOS E ACHEI MELHOR TÊ-LOS, E SOU MUITO FELIZ POIS OS TIVE DE PRIMEIRA E SI COMO ELES SÃO BONS...
          ELES SÃO TRÊS....HERDARAM TODAS AS MINHAS QUALIDADES MAS ESQUECERAM DE HERDAR OS MEUS DEFEITOS, OS MEUS PECADOS VENIAIS...
          A  FILHA ÚNICA, A MAIS VELHA, BRENA, É DE UMA HUMANIDADE QUE IMPRESSIONA...COMO ELA SE ACHA IGUAL A TODOS...
          BRENO AUGUSTO, ENGENHEIRO ELÉTRICO, GESTOR DA COSERN,UM HOMEM PRENDADO...DIGITAL...MATEMÁTICO...UM EXCELENTE MARCENEIRO...HABILIDOSO...FAZ SEUS PRÓPRIOS MOVEIS,COM MAESTRIA, E AGORA COZINHANDO MUITO BEM...ORGANIZADO...REGRADO...PRUDENTE...EXCELENTE PAI E MARIDO...GRANDE FILHO...EU NEM ENTENDO COMO UM FILHO MEU PODE SER TÃO ORGANIZADO E PISAR COM TANTA FIRMEZA NO CHÃO....
          O CAÇULA, O FIM DE RAMA, É UM EXCELENTE UROLOGISTA...BRILHANTE...HABILIDOSO...DIGITAL...DEDICADO....SE FOR PRECISO PAGA PARA FAZER UM TRANSPLANTE RENAL NUM FERIADO...TEM PRAZER...
          VOCÊ , MEU QUERIDO LEITOR, NÃO ENTENDA O MEU TEXTO COM CABOTINAGEM, COMO UMA DEDICAÇÃO EXCLUSIVA  PARA LAMBER AS CRIAS...
          FELIZ DE QUEM AOS 62 ANOS PODE ASSIM SE REFERIR AOS FILHOS...E OLHAR PARA O CÉU E DIZER: GRAÇAS A DEUS...
          DISCORDO DE GIBRAN QUANDO DIZ QUE OS FILHOS SÃO FLEXAS QUE VOCÊ ATIRA NO ALÉM MAS NÃO PODE PRECISAR O DESTINO DELAS...NÃO É  SOMENTE ASSIM...O PAI, O ARQUEIRO, PODE DESDE CEDO DIRECIONAR O ARCO...SOBRETUDO COM O EXEMPLO...
            O EXEMPLO BOM DADO PELOS PAIS ANULA OS SEUS POSSÍVEIS ERROS, POIS ENQUANTO O BEM EXISTIR  O MAL TEM CURA.
          ONTEM PARTICIPEI DE EXCELENTE JANTAR NO APARTAMENTO DE BRENO...TUDO FEITO POR ELE...UM PAPO AMENO COM VINHO BOM...
          FALTOU BRUNO, O CAÇULA QUE ESTAVA CANSADO, HAVIA DADO PLANTÃO O DIA TODO.

A MALDIÇÃO DA GRAVATA...POR BERNARDO CELESTINO PIMENTEL







          Eu não acredito em bruxarias não, mas que elas exstem existem...era assim que falava Sancho Pança, quando escutava os desvarios de Dom Quixote de La Mancha, que vivia de alucinações e ilusões...coisas de Miguel de Cervantes...
          Eu tenho as minhas superstições também, como todo mortal...por exemplo, nunca deixei a minha chinela emborcada, pois isto causa ou chama a morte da mãe...
         Sempre fui cismado com quem dava o nó na minha gravata...nunca aprendi a dar um nó decente...observei que todas as pessoas que deram nó na minha gravata, quando eu ia a uma festa, morreram precocemente....me criei com este medo: dá o nó na minha gravata da azar...
          Tentei comprar gravatas com o nó já feito, mas eles não tem a elegância do outro tipo...
          A gravata que realça é aquela que é preciso dar o nó...
          Quando adolescente quem dava o nó nas minhas gravatas era o meu pai...morreu cedo...depois esta tarefa foi substituída pelo meu primo,também adolescente, que ia as festas comigo em Nova Cruz, Paulinho Bezerra...morreu precocemente, antes dos trinta anos...depois veio o tio Paulo Bezerra...morreu.
          Depois vim estudar em Natal e o meu cunhado Eros Calda de Araújo pereira, meu cunhado,em cuja casa eu vim estudar, começou a dar os nós nas gravatas, antes das festas...morreu com 40 anos...
          Depois quem dava o nó era Carlinhos Botelho, outro cunhado, morreu precocemente...
          Passei a pedir ao vendedor na loja, que já me vendesse a gravata com o nó dado...sentia dilema de consciência...temia a sua morte...
          O CERTO é que na minha casa ninguém tem coragem de dar  o nó  nas minhas gravatas...
          Certa vez, estava num congresso de cirurgia, no centro de convenções....no intervalo entro no toilete, onde me encontro com o meu amigo médico e professor, SEBASTIÃO AZEVEDO...este um cirurgião metódico e perfeccionista...
          Sebastião olha pra mim e diz:Bernardo, o nó da sua gravata está muito mal feito...eu vou ajeitar...O colega não tinha nervos para ver uma marmota e se omitir...era deste jeito deste o campo cirugico...
          Sebastião se dirigiu ao meu pescoço e começou a refazer o nó da gravata...neste ínterim eu falei:
          Meu amigo, você precisa saber que todas as pessoas que deram o nó  na minha gravata morreram precocemente...imediatamente sebastião soltou a gravata puto de raiva, como quem descobre que estava com uma cobra na mão prestes a lhe picar, e me disse:
          PORRA....você devia ter me avisado antes...e abandonou o serviço revoltado...e acrescentou, eu agora vou ficar com esta preocupação á mais.

domingo, 2 de julho de 2017

A POESIA DE MACHADO DE ASSIS...

CÍRCULO VICIOSO – Machado de Assis

Bailando no ar, gemia inquieto vaga-lume:
– “Quem me dera que fosse aquela loura estrela,
Que arde no eterno azul, como uma eterna vela!”
Mas a estrela, fitando a lua, com ciúme:
– “Pudesse eu copiar o transparente lume,
Que, da grega coluna à gótica janela,
Contemplou, suspirosa, a fronte amada e bela!”
Mas a lua, fitando o sol, com azedume:
– “Mísera! Tivesse eu aquela enorme, aquela
claridade imortal, que toda a luz resume!”
Mas o sol, inclinando a rútila capela:
– “Pesa-me esta brilhante auréola de nume…
Enfara-me esta azul e desmedida umbela…
Por que não nasci eu um simples vaga-lume?”

sexta-feira, 30 de junho de 2017

AS NEUROSES E AS CABEÇAS...POR BERNARDO CELESTINO PIMENTEL.


          Conheço três irmãos, um homem e duas mulheres, desde as suas infâncias...sempre unidos...sempre voltados para a vida em família...uma casa que tinha pai e mãe, atuantes...mas, uma casa de gente nervoso...uma casa de neuróticos...
          com o tempo os três casaram...viveram as suas experiencias separados, mas os casamentos fracassaram, e eles resolveram retornar a de onde vieram...os três moram juntos, dividindo as suas neurose antigas e as atuais...
          Se preocupam com a saúde de cada um e de todos...vivem de analisar sintomas...possuem as suas próprias explicações para tudo...
          A mais velha pergunta: Doutor, Pedro está dormindo e acorda com uma dor no anus muito grande...a dor sobe pelos peitos, pelo esôfago , vai para cabeça e ele desmaia...só melhora quando toma 2mg de rivotril...a mesma coisa acontece com eulita , só que ela melhora com um dorflex...eu também tenho a mesma dor, que só melhora com qualquer tranquilizante...
          O que o senhor acha que é?

          Depois entra dona Chiquita que diz: doutor, estou operada, mas foi com um médico invisível...querendo dizer que a cirurgia foi mediúnica, espiritual....
         Eu pergunto: se operou de que:me operei da vesica e de um comichão que eu tinha na vagina...a cirurgia foi um sucesso...
         Me lembrei da Dona Sivuca que mandou carta para JOHN Kenedy, convidando-o para ser padrinho do seu filho...
          O presidente americano enviou carta resposta agradecendo o convite e a honra, mas que não poderia comparecer ao batizado da criança, devido aos seu afazeres...
         Tempos depois o presidente foi assassinado, e a Dona Sivuca chega lá em casa aos prantos...
         ou que notícia triste: mataram o compadre Kenedy...eu só imagino como deve estar sofrendo  a comadre Jaqueline.
          Apos escutar estas histórias digo a mim mesmo...preciso fazer medicina de novo, e desta vez fazer psiquiatria.

sábado, 24 de junho de 2017

CIRURGIA BARIÁTRICA...POR BERNARDO CELESTINO PIMENTEL.








          Passei 60 anos da minha vida carregando 110 kilos numa carcaça de 1.60m...era pletórico, tinha o pescoço proconsular, características que predispõe ao enfarte...
          Há dois anos resolvi fazer a CIRURGIA BARIÁTRICA, com o meu ex aluno de medicina, Dr.Carlos Alexandre...escolhi-o pelo fato de ser um bom médico e só me ofereceu facilidades...acertei...
          HOJE me considero um PAPILLON: o homem que fugiu do inferno...
          Se bem que ninguém faz omelete sem quebrar os ovos...a cirurgias trás também pequenos problemas...mas no geral, COMPENSA DE LONGE...
          Ontem minha filha me mostrou uma retrato meu jantando em Portugal, LISBOA, eu fiquei impressionado como Deus me livrou de ter tido um enfarte...tinha obesidade mórbida mesmo...um IMC de 44%...só Deus pode ter livrado me de não ter tido um grande problema cardíaco....
          Os problemas que a cirurgia trás são mais veniais do que os pecados mortais de ser obeso mórbido...
          è triste ser gordo...
          O MUNDO detesta gente gorda...
          Venci a resistência quando soube que o endocrinologista famoso do RECIFE, Cláudio Cavalcante desabafou na sala de aula:
          Passei minha vida tratando clinicamente a obesidade...ganhei muito dinheiro...mas no fundo nós não sabemos tratar a obesidade...
         se eu fosse obeso, já teria feito a cirurgia BARIÁTRICA...
          Explicando num nível mais alto, os problemas resultantes desta cirurgia, são pecados veniais...adaptáveis...evitáveis...menores...
          Tudo causado pela mudança radical no aparelho digestivo, que do esôfago até o angulo esplênico do cólon é inervado, predominantemente pelo NERVO VAGO, que trabalha na base do FEED_BACK, ou seja no RETROCONTROLE...a medida que o alimento progride no aparelho digestivo, um tipo de secreção é eliminada,para disciplinar um tipo de digestão, que já provoca a eliminação de outra enzima...
          A CIRURGIA BARIÁTRICA ENLOUQUECE O NERVO VAGO, acaba com os FEED_BACKs, com os RETROCONTROLES...daí a estase na vesícula e vias biliares e a formação de cálculos na vesícula...a náuseas...
          O BYPASS,colocando lá na frente o alimento, prejudica a sua absorção, resultado,se você comer algo muito osmolar, há um pico de insulina e você faz HIPOGLICEMIA, pois absorve pouco açúcar, em relação a insulina que é secretada...
          FALTAM coleréticos e colagogos para a digestão do bariátrico, pela alteração dos FEED_BACKS...
          Mas no geral, a cirurgia Bariátrica compensa...o que não compensa é ser gordo...viver debaixo dos riscos da obesidade mórbida, que é a mãe de todas as desgraças hepáticas, cardíacas, e renais...
          VALEU Dr. Carlos Alexandre Fonseca, vulgo XANDÃO...muito obrigado...
          No dia 31 de outubro completo dois anos de cirurgiado...estou contente...faço musculação...estudo acordeon e piano por música...tenho uma dieta sadia, e vivo amenizando a minha fibrilação atrial crônica, refratária, que me  foi causada pelo homem gordo, via apneia do sono...por isto evito uma vida de estreses...também faço yôga, uma imensidão a ser conquistada, pela vida interior....

MAIS UMA DAS DEZ PARCERIAS DE TOM JOBIM COM CHICO BUARQUE...FALANDO DE AMOR

UMA DAS DEZ PARCERIAS DE CHICO BUARQUE COM TOM JOBIM...

LITERATURA DE CORDEL...


João Paraibano
O que mais me admira
É ver o sapo inocente
Que gosta de lama fria
Mas detesta a terra quente
Vendo da cobra o pescoço
Pinota dentro do poço
Pra se livrar da serpente.
* * *
Rogaciano Leite
Eu nasci lá num recanto
Do sertão que amo tanto
Onde o céu desdobra o manto
Feitos de rendas de anil
Onde o firmamento extenso
É um grande espelho suspenso
Refletindo o rosto imenso
Da minha pátria o Brasil.
* * *
Rena  Bezerra
Lembro bem do meus banhos no riacho
De fazer arapuca lá na mata
Tomar banho escondido na cascata
E descer ribanceira mundo abaixo.
De subir no coqueiro e tirar cacho
No curral tomar leite sem ter nata
Ver os pássaros conduzindo uma cantata
E eu ficar lhes ouvindo bem contente,
Se o passado voltasse pro presente
Mataria a saudade que nos mata.
* * *
Henrique Brandão
Um aboio penoso do vaqueiro
Um cavalo relincha no roçado
A cancela, por onde passa o gado
A cafofa do pé de umbuzeiro
Um boi “brabo” cair no formigueiro
A cacimba na foz do ribeirão
O cuscuz, carne assada e o pirão
Um menino dizendo poesia
Uma porca fuçando a lama fria
Tudo isso são coisas do sertão.
Vaquejada, reisado e cantoria
Uma roça com milho pendoando
Um cigarro de palha, vez em quando
No programa de rádio, cantoria
A cigarra tocando a melodia
Um jumento deitado no oitão
Um sela, perneira e um gibão
Às seis horas louvar Nossa Senhora
Logo a lua se “amostra” sem demora
Tudo isso são coisa do sertão.
 
* * *
Otacílio Batista
Minha mãe me criou dentro do mar
Com o leite do peito de baleia
Me casei no oceano com a sereia
Que me fez repentista popular
Canto as noites famosas de luar
E linguagem das brisas tropicais
Entre abraços e beijos sensuais
Nos embalos das ondas seculares
Conquistei a rainha mãe dos mares
E o que é que me falta fazer mais?
* * *
Zé de Cazuza
O pobre do retirante
Viaja sem rumo certo
Quando está fatigado
Acha um juazeiro perto
Parecendo um guarda-chuva
Que Deus armou no deserto.
* * *
Guaipuan Vieira
É bem feliz quem escreve
E vê sua obra estudada
É imortal quem tem vida
Vida diversificada
Já conquistou sua glória
Prá no céu fazer morada
* * *
Joaquim Venceslau Jaqueira
Eu andei de déo em déo
E desci de gáio em gáio
Jota a-já, queira ou não queira.
Eu não gosto é de trabaio,
Por três coisa eu sou perdido:
Muiê, cavalo e baraio!…
* * *
Inacio da Catingueira
Há dez coisas neste mundo
Que toda gente procura:
É dinheiro e é bondade,
Água fria e formosura,
Cavalo bom e mulhé,
Requeijão com rapadura,
Morá, sem sê agregado,
Comê carne com gordura.
* * *
Bob Motta
Nem ostra, nem catuaba,
nem caldo de tubarão,
culhão de touro ou pirão,
nem mesmo, uma caldeirada;
vai levantar a “finada”,
que vive olhando p’ro chão.
Nem pentelho de barrão,
lhe digo, na minha verve;
isso de nada lhe serve,
quando se acaba o tezão.
* * *
Um folheto de Olegário Fernandes da Silva
O HOMEM QUE CASOU COM A JUMENTA
Jesus pai poderoso
Minha poesia aumenta
Enquanto eu escrevo um causo
Que todo mundo comenta
O homem deixou a mulher
Pra casar com a jumenta
Isto foi na Paraíba
Município de Campina
Deixou a sua esposa
Por nome de Jarmelina
E amigou-se com a Jega
Para cumprir sua sina
Esse causo se deu
Na Paraíba do Norte
O homem pra casar com burra
Precisa que seja forte
Uns diz que é safadeza
E outros diz que é sorte
No mundo aparece coisa
Que parece uma novela
Um homem assim não tem
O valor de uma cadela
Olhe na capa do livro
Ele abraçado com ela
Seu nome Senhor Pereira
Com Jarmelina casado
Porém há mais de mês
Que ele vinha amigado
Namorando uma jumenta
Lá num canto reservado
Ele avistando a jumenta
Ficou hipnotizado
la abanou as orelhas
Como quem dar um recado
E ele com ar de louco
Quase morto e apaixonado
A jumenta olhou pra ele
Fez um sinal de amor
Ele abraçou-se com ela
Chamando de minha flor
Somente tu é quem cura
A minha triste dor
E ai seguiu direto
A casa do fazendeiro
E lhe comprou a jumenta
Pelo um avultado dinheiro
E levou-a para casa dizendo
És meu amor verdadeiro
Ele chegou em casa
Botou na estribaria
e abraçava com ela
Alegremente sorria
Era amigado com ela
Mais a mulher não sabia
Desse dia por diante
Ele ficou diferente
Só ia em casa almoçar
E voltava rapidamente
Pra abraçar-se com a jumenta
O seu amor excelente
Tudo que a mulher fazia
Para ele não prestava
Somente com a jumenta
Ele se consolava
Ele beijava a jumenta
E ela também lhe beijava
E assim mais de dois meses
Em casa ele não dormia
Às dez e meia da noite
De casa ele sumia
E só voltava pra casa
No romper do novo dia
Nas obrigações de casa
Ele fez certo resumo
A mulher desconfiada
Como sempre e de costume
E assim desta maneira
Foi aumentando o ciúme
Ele trazia para casa
Fava,farinha e pimenta,
Milho, feijão e arroz
Levava para jumenta
E dessa vez sua esposa
Quase que se arrebenta
A mulher ele dava dez contos
E a Jega ele dava cem
A mulher passando fome
E a Jega passando bem
Sua esposa dizia
Outra mulher ele tem
A mulher se aperriou
E ficou apavorada
Ela dizia Pereira
Tem outra namorada
Mais eu tô indo e pego
Os dois numa emboscada
Ela disse se eu pegar
A parada vai ser cinzenta
E eu meto pau nos dois
Quebro perna, braço e venta
Mas deixa que ele estava
Amigado com uma jumenta
E assim ficou tocalhando
Toda hora e todo dia
Até que pegou os dois
Dentro da estribaria
Ele abraçado com a burra
Fazendo o que bem queria
A sua esposa legítima
Chama-se Jarmelina
E ele brincando com a burra
Chamava ela Cravina
Dizia que vamos casar
Que nosso signo combina
Ela dava beijo nele
Ele dava beijo nela
Ela se abraçava com ele
Ele se abraçava com ela
Sem verem que a velha estava
Escondida na cancela
Ela abriu a porteira
E saiu devagarzinho
Chegou com um toro de pau
Na ponta só tinha espinho
E danou na cara dele
Que arrebentou-lhe o fucinho
A jumenta pulou de lado
Ele se esparramou ao chão
Além da queda e da dor
Levou mais um empurrão
E a mulher foi a cidade
Se queixar ao capitão
Ela contou toda a história
Ao capitão Luiz
Seu caso é judicial
Só quem resolve é o juiz
Ela disse eu vou agora
Pra ver o que ele diz
Ao Juiz ela contou
Como foi todo ocorrido
Eu quero me desquitar
Daquele cabra bandido
Então vá buscar ele
Prá o caso ser resolvido
O Juiz disse este homem
Por certo é maluco
Prá atender o Juiz
No mesmo instante chegou
E a sua história amorosa
Ao Juiz ela contou
O Juiz disse a sua esposa
Pede prá ser disquitada
O senhor com uma jumenta
Ela fica envergonhada
Ele disse a burra é minha
Isso não quer dizer nada
Eu também peço o disquite
Meu com minha mulher
Depois disto ela pode
Casar com quem quiser
E eu caso com a jumenta
Dê o caso no que der
O Juiz pra ele falou
Com a frase muito grosseira
Você vai deixar sua esposa
Nova bonita e fagueira
Pra casar com uma jumenta
E fazer sua caseira
Essa mulher que era minha
Até o diabo arrenega
O homem é ouro de lei
Nada ruim não lhe pega
Dessas mulheres que tem hoje
É muito melhor uma jega
E mesmo o senhor está vendo
A caristia é sem fim
Eu faço a feira pra casa
Ela ainda acha ruim
E a jumenta eu sustento
Com salambaia e capim
Nisso chegou Abraão
Que viu todo negócio
Disse perante ao Juiz
Já que assinei o divórcio
Vou casar com Jarmelina
Para de Pereira eu ser sócio
Dentro de dois minutos
Fizeram a transação
Pereira casou com a Jega
Prenda do seu coração
Jarmelina também casou
Com o poeta Abraão.